Bispo de Vila Real deseja Feliz Natal “sem mal entendidos e cerimonial mundano”

Dom Amândio Tomás afirma que o Natal se tornou “carnaval, feira, comércio, espetáculo e regabofe, sem dignidade, sem verdadeira alegria e sem Menino Jesus”

    Vila Real, Ecclesia/Portugal – Dom Amândio Tomás, bispo de Vila Real, destaca na sua mensagem que é urgente que o Natal “adquira sentido, santidade e dignidade”.
    “É urgente que adquira sentido, santidade e dignidade e nos leve ao Menino, que nasceu, em Belém”, afirma Dom Amândio Tomás na sua mensagem para este Natal. O bispo de Vila Real ressalta que o Natal “faz parte do plano divino” e deseja “Feliz Natal, sem mal entendidos e cerimonial mundano”.

    “As palavras perdem conteúdo, sentido e verdade. É preciso regressar ao cerne e origem de gestos e praxes, deixando de falar de Natal, sem Deus e sem o amor de Deus, manifestado em Cristo que se fez homem e chama à conversão.”

    Na sua mensagem o prelado aponta ainda que o Natal se tornou “carnaval, feira, comércio, espectáculo e regabofe, sem dignidade, sem verdadeira alegria e sem Menino Jesus” e destaca que “é bom meditar a Palavra à espera de ser recebida”, “dando frutos de boas obras.”

     Dom Amândio Tomás termina pedindo que todos, à semelhança de Maria,  “meditem a Palavra de Deus e se lembrem “que a Palavra espera resposta”. Leia a mensagem na íntegra:

MENSAGEM  DE NATAL
    Somos, de facto, irmãos, concidadãos dos santos, filhos adoptivos de Deus, em Cristo, que nasceu, morreu e ressuscitou e nos exorta a amar a Deus e a viver, na esperança, a festa da fé, do amor e da alegria, celebrando, testemunhando e imitando Cristo, feito próximo e solidário, para salvar os indiferentes, libertando-os da idolatria e culto do dinheiro, do sexo, da arrogância e poder. O Natal faz parte do plano divino.

    Feliz Natal, sem mal entendidos e cerimonial mundano. As palavras perdem conteúdo, sentido e verdade. É preciso regressar ao cerne e origem de gestos e praxes, deixando de falar de Natal, sem Deus e sem o amor de Deus, manifestado em Cristo que se fez homem e chama à conversão, por “não haver maior prova de amor que dar a vida pela pessoa amada” e “havendo mais alegria em dar que em receber” . O Natal do Filho de Deus tornou-se carnaval, feira, comércio, espectáculo e regabofe, sem dignidade, sem verdadeira alegria e sem Menino Jesus! É urgente que adquira sentido, santidade e dignidade e nos leve ao Menino, que nasceu, em Belém, ao Filho de Deus feito Servo Sofredor e Cordeiro Imolado. Deve levar à verdade e santidade, à bem-aventurança, sem esquecer a esperança, a paciência e a vigilância do Advento. É bom meditar a Palavra à espera de ser recebida, assimilada, cumprida, dando frutos de boas obras. O Natal deve culminar na transformação gloriosa da Páscoa de Cristo, com o Advento que precede o Natal, para, na sucessão de festas e mistérios, sermos conduzidos à plenitude da vida e do amor, que brilha no mistério da Páscoa, na Ressurreição, que é a festa das festas e o mistério central de Deus que se dá.

    É o Natal, com Cristo, em Cristo e para Cristo, que desejo! Natal, sem Deus, não tem sentido. Peço-vos que, como Maria Santíssima, que trouxe, no seio, o Menino Jesus, mediteis a Palavra de Deus, abertos ao Espírito, celebrando a Festa da sua vinda, nos nossos corações, lembrados que a Palavra espera resposta.

    Com votos de Santo e Feliz Natal, recebei as saudações cordiais do vosso bispo.

Vila Real, 8 de Dezembro, Festa da Imaculada

+ Amândio José Tomás,
Bispo de Vila Real – Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *