David Bowie rezou o Pai-Nosso em pleno show, no estádio de Wembley, na Inglaterra


Falecido na semana passada, o célebre cantor britânico fez a Oração do Senhor durante uma homenagem a Freddy Mercury em 1992
    O cantor David Bowie faleceu na segunda-feira, 11 de janeiro, aos 69 anos de idade. Durante o show em homenagem a Freddy Mercury no estádio de Wembley, em 1992, o artista britânico surpreendeu as dezenas de milhares de pessoas presentes quando fez uma genuflexão e rezou o Pai-Nosso:

Our Father, who art in heaven,
Hallowed be thy name.

Thy Kingdom come.
Thy will be done on earth as it is in heaven.

Give us this day our daily bread.
And forgive us our trespasses,
as we forgive those who trespass against us.

And lead us not into temptation,
But deliver us from evil.

For thine is the kingdom, the power and the glory for ever and ever.
Amen.

    Fãs ou menos fãs, foram numerosos os que, nas redes sociais, prestaram sua homenagem a este artista excepcional. Foi o caso do cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura. Ele postou em sua conta no Twitter:

Ground Control to Major Tom Commencing countdown, engines on Check ignition and may God’s love be with you (David Bowie)

No inferno
    A propósito: nem todos os seguidores do perfil do cardeal gostaram da menção. Vários declararam que o cantor estava “merecidamente” no inferno por conta de sua vida afastada de Deus. A um cristão, no entanto, não cabe julgar (e muito menos condenar) ninguém: só Deus julga as pessoas. Nós só podemos julgar atos: se alguém praticou atos questionáveis ou abertamente criticáveis, são esses atos que podem (e até devem) ser questionados ou criticados, desde que fraternalmente; mas nunca, nunca podemos julgar a pessoa como tal por tê-los praticado.

    Compreender essa diferença entre julgar um ato e julgar uma pessoa é crucial para o verdadeiro cristão, que sempre rejeita o pecado, mas nunca rejeita o pecador. Ao pecador (e ao virtuoso) cabem as nossas orações, a nossa misericórdia e o nosso gesto de confiá-lo às mãos do Pai, o único que julga pessoas – e as perdoa, bastando que elas lhe peçam sincero perdão.

    Portanto, como bem escreveu o cardeal Ravasi, “may God’s love be with you”, David Bowie! Descansa em paz – e perdoa a nós todos que, dizendo-nos cristãos, agimos tantas vezes negando o amor cristão com a nossa herética falta de misericórdia.

Fonte: Aleteia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *