Polícia avança na busca por suspeitos de matar o padre Eduardo Teixeira

Porto Alegre, Zero Hora/Álisson Coelho – A Polícia Civil já tem pelo menos 15 nomes de suspeitos de matar o padre Eduardo Teixeira (v. foto), 35 anos, no dia 16 de dezembro em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos.

As investigações estão avançando depois que o padre sobrevivente, Rafael Barbieri, 37 anos, descreveu os criminosos para a elaboração de retratos falados.

De acordo com o delegado de Homicídios, Enizaldo Plentz, a polícia está avaliando os suspeitos e os comparando com as imagens dos retratos falados. Os nomes estudados moram, além de Novo Hamburgo, em cidades do Vale do Sinos, Paranhana e na Serra.

       “Estamos diminuindo aos poucos o número de suspeitos. De todos estão sendo analisados os antecedentes e o aspecto físico. A investigação está avançando” – avalia o delegado.

       A polícia segue procurando imagens de câmeras de segurança que tenham gravado a passagem do Corsa em que estavam os padres. Até agora, duas gravações mostram o carro em locais descritos pelo padre sobrevivente. No entanto, existe diferença entre os horários mencionados e os gravados nas imagens.

       “O trajeto é compatível, mas ainda estamos analisando as diferenças nos horários” – explica o delegado Plentz.

O crime
       De acordo com a versão do padre sobrevivente, Rafael Barbieri, ele e o padre Eduardo Teixeira voltavam de uma janta em Estância Velha, quando teriam se perdido no bairro Hamburgo Velho, em Novo Hamburgo.

       Os dois teriam pedido informações para dois homens, que se ofereceram para servir de guia, já que estariam indo para o mesmo lugar. Após entrar no carro e andar por alguns minutos, a dupla teria sacado revolveres e anunciado um assalto.

       Os bandidos teriam então orientado que o padre parasse ao lado de uma área pertencente ao Parque Henrique Luis Roessler (Parcão). Em seguida os dois padres foram obrigados a entrarem cerca de 30 metros por uma trilha dentro do Parcão. Lá, Teixeira teria reagido e saído correndo, sendo baleado no peito pelos ladrões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *