Igreja em células como estratégia para a Nova Evangelização

       ArqRio/Nathalia Cardoso – Jornal Testemunho de Fé – As células do corpo humano são a menor unidade do organismo. No entanto, carregam em si elementos que são a base para o bom funcionamento do corpo. Além disso, multiplicam-se, formando novos tecidos. Da mesma forma funciona a “Igreja em células”, estratégia para a Nova Evangelização, que propõe um “novo jeito de ser a Igreja”, segundo o padre Marcelino Modelski, da Paróquia São Jorge, em Quintino, onde ela está sendo implantada há dois anos.
       “Igreja em células é uma estratégia de evangelização que se fundamenta na experiência das primeiras comunidades cristãs. Ela se dá, a princípio, a partir do relacionamento entre as pessoas” – explicou ele.

       A proposta dessa metodologia é a formação de pequenos grupos de até 15 pessoas, os chamados “oikos”. Estas pessoas estabelecem entre si vínculos de amizade e comunhão. As bases são a partilha, a adoração, a edificação pela palavra e o anúncio de Cristo (evangelização). O objetivo é levar a Palavra de Deus cada vez mais longe, através do amor entre os irmãos.

       Antes de se formarem as células, os fiéis passam por uma fase que o padre Marcelino chama de “tomada de consciência”. Segundo ele, é nessa fase que o foco deve mudar: ao invés de pensar apenas em “ir à igreja”, deve-se começar a sentir-se Igreja. Para isso, há um período de formação de cerca de um ano. Somente a partir deste período as células se formarão, já com seus respectivos líderes, que irão direcionar os encontros e “discipular” os companheiros. Conforme as células vão se multiplicando (elas multiplicam-se a cada ano – cada uma dá origem a mais uma), são escolhidos novos líderes.

        As células podem ser homogêneas, como é o caso das formadas somente por casais ou somente por jovens, ou podem ser heterogêneas, com a participação de pessoas de gênero e idade variados. Os encontros podem acontecer em qualquer lugar – uma casa, o local de trabalho, a igreja – e geralmente são semanais.

       A Paróquia São Jorge possui cinco células, que se multiplicarão entre janeiro e fevereiro de 2013, tornando-se dez. O primeiro líder de célula da comunidade foi o padre Marcelino Modelski.

       Para ajudar as paróquias que queiram desenvolver esse projeto, existe a Agência Católicos em Células, articulada pela Comunidade Católica Fanuel. Ela atua em todo o Brasil e oferece formações e material necessário ao desenvolvimento do método, direcionando as paróquias antes da formação de sua primeira célula. A sede geral da comunidade é em São Paulo. Outras informações podem ser encontradas no site: www.catolicosemcelulas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *