Conselho Episcopal Pastoral reúne-se em Brasília

Brasilia, CNBB – Teve início na terça-feira, 4, pela manhã, a primeira reunião do ano do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), que é composto pela presidência da CNBB e pelos presidentes das doze comissões episcopais da Conferência. Também participam do encontro assessores das respectivas comissões e representantes de organismos vinculados à instituição.

Na ocasião, os bispos tratam dos preparativos para a 52ª Assembleia Geral da CNBB, que acontecerá de 30 de abril a 9 de maio deste ano e terá como tema prioritário o papel do leigo na Igreja.


    Na abertura da reunião do Consep, o secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, deu boas-vindas aos novos assessores: o ecônomo, monsenhor Nereudo Freire Henrique; o beneditino dom Marcelo Molinero, do setor Espaço Litúrgico, que faz parte da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia; e o padre Luiz Pedro, que colaborará no projeto de ampliação do Centro Cultural Missionário.

    Ainda pela manhã, o assessor da Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP), Pedro Gontijo, apresentou a análise de conjuntura do Brasil e do mundo, que entre outras questões, aborda a situação carcerária no país,  a política migratória, a reforma política, os conflitos indígenas em Humaitá e as manifestações coletivas denominadas “rolezinhos”. A análise de conjuntura, que estará disponível no site da CNBB, é preparada por uma equipe de assessores e apresentada aos bispos para um momento de reflexão e debate sobre a realidade.

    Segundo o arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis, o Brasil está vivendo um ano muito especial marcado pela Copa do Mundo e eleições. Porém, há muitos desafios, sobretudo no que se refere “à questão dos valores, que são esvaziados na sociedade, a exemplo da corrupção, da injustiça social, da violência”.

Gratidão
    Os bispos do Consep fizeram uma homenagem às irmãs Filhas do Amor Divino, que por anos colaboraram nas diversas atividades na sede da CNBB, em Brasília. As religiosas Jovita, Celita e Beatriz seguem agora em nova missão. “Nosso agradecimento às irmãs e à congregação pelo trabalho que realizaram em nossa casa. Nossas orações para que Deus retribua com muitas graças o que elas fizeram por nós”, disse o cardeal Damasceno às religiosas, que também manifestaram gratidão pelo tempo em que aturam na Conferência. “Agradeço o que aprendi e vivi durante esses 13 anos na CNBB”, disse irmã Celita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *